Jetlag – Sobre chegadas e adaptação ao fuso horário

Se tem uma coisa que eu não gosto em viagens, é viajar. No sentido aeroporto, avião e principalmente as chegadas em locais com fuso horário. Eu tento não pensar muito, e vamos lá, só esperando o dia seguinte da chegada para realmente começar a curtir. Sobre viagens de avião, tenho dois posts com algumas dicas bem legais, aqui e aqui.

Viagens com vôos mais longos, que vão ter um fuso horário, sempre preocupam os pais, se para nós adultos, não é muito fácil, imagina para um criança. Neste post vou dar algumas dicas que fazemos com os meninos, que tem funcionado.

Nós nunca viajamos para um local que tivesse mais de 6 horas de fuso horario, então para quem for viajar para locais mais distantes com crianças, leve em consideração que seu filho vai levar pelo menos uns dois a três dias para entrar em uma rotina bacana.

Eu sempre digo, conheça seu filho e seu ritmo biológico, como funciona o sono dele, como ele se sente fora da rotina, qual a regularidade alimentar dele. Enfim, aspectos que sejam importantes para o humor dele, pois adaptar-se a um fuso horário diferente pode mexer bastante nos humores das crianças.

Uma dica é , estude bem o horário de chegada no destino final. Nem sempre temos como escolher os horários do vôo, mas quando tiver opções, eu gosto de chegar entre o meio e fim de tarde no destino final, ou pegar um vôo diurno, chegando apenas a noite.

Se chegamos no meio da tarde, isso significa que temos tempo de ir até o hotel, tomar um banho, vestir uma roupa limpa (isso já faz a gente se sentir melhor) e sair, ir para a rua e pegar um ar ajuda a relaxar depois de horas dentro de um avião. Meus filhos tem fome, e depois de um dia no avião nada melhor que comer algo saudável. Se já passou das 17hrs já começamos a pensar em jantar, comer uma refeição, se for antes, um lanche saudável como uma fruta ou iogurte, para enganar até a hora do jantar.

Nesse dia de chegada, seguramos eles acordados até em torno das 19hrs, por isso acabamos jantando cedo, e ficamos pela rua até este horário, daí já retornamos ao hotel e vamos dormir, pois sim, estamos todos cansados, e dormir bem essa primeira noite é fundamental para o corpo ir aceitando essas diferenças de horários. O bom é que sempre chegamos exaustos, então não temos problemas em colocar todo mundo dormir cedo e isso garante que no dia seguinte eles já acordem em um horário satisfatório para iniciar a viagem, mas para isso temos que controlar as sonecas desse primeiro dia.

Quando viajamos a Boston, em outubro de 2018 (post),  chegamos as 10hrs, ou seja tínhamos um dia inteiro pela frente. Por passar a noite (sem dormir direito) no avião, estávamos muito cansados, mas seguramos a onda, almoçamos e o Gui dormiu no carrinho, deixamos ele descansar um pouco mais de uma hora e depois já acordamos ele, o Rodrigo não dormiu. Durante o dia fizemos passeios bem lights, sem ficar em locais muito fechados ou cheios e nem passeios que demorassem muito tempo. Aguentamos até o final de tarde, jantamos cedo e fomos dormir. Dia seguinte acordamos pelas 7hrs, e isso fez toda diferença na nossa adaptação ao fuso horário.

IMG_6116
Chegando em Boston e saindo para passear
IMG_6152
Duck Tour em Boston, foi ótimo para esse dia de chegada
IMG_6149
Duck Tour em Boston, foi ótimo para esse dia de chegada

Meus filhos não dormem 12 horas em casa, mas nessas situações, em que estão muito cansados da viagem eles dormem, e mesmo que acordem cedo, enrolamos o máximo na cama antes de levantar, o objetivo é descansar no período noturno do fuso em que estamos. E claro, essa rotina tem funcionado para a gente, pois nossos filhos “funcionam” bem assim, por isso é importante saber o que vai ser melhor para o seu filho.

Nessa nossa última viagem ao México (post), pegamos um vôo diurno, o maior medo de viajar durante o dia com uma criança, é o que fazer um dia inteiro dentro de um avião, pois nos vôos noturnos é garantido que eles vão dormir boa parte do trajeto. Como essa viagem não era tão longa, o vôo durante o dia foi ótimo, pois eles se distrairam super bem no avião (fato: quanto mais se viaja com eles, mas eles aprendem a viajar). Chegamos a noite no México e foi basicamente tomar banho e dormir. O que me atrai nessa logística? Eu não fiquei nenhuma noite sem dormir.

Eu não consigo dormir em vôos, especialmente com as crianças, pois eu fico preocupada com eles, além de ser super desconfortável. Então, chegar em um destino virada de sono por passar uma noite em claro no avião é mais desconfortável do que ajudar uma criança a se distrair durante um vôo. Além de que me garante chegar e poder ir dormir.

O maior fuso horário que pegamos foi quando estivemos em São Francisco, eu estava grávida do Gui e o Ro tinha 2 anos e 2 meses. Além do fuso ser de 6 horas, levamos, por perder uma conexão,  30 horas para chegar a SF. Chegamos lá em torno das 16:30 e fizemos a nossa rotina básica de tomar banho, sair para jantar e dormir cedo. Como o fuso era um pouco maior, o Ro levou ainda o dia seguinte para se recuperar, então fizemos passeios mais calmos, sem exigir muito dele. Gastamos algumas horas em parquinhos, deixamos ele livre para brincar e descansar e também, controlamos as sonecas para que a noite ele fosse dormir em um horário propício, dentro do fuso.

IMG_7272
Quase chegando em São Francisco
IMG_7277
De banho tomado saindo para jantar

Da mesma forma que ajustamos os horários de sono, controlamos as horas das refeições, almoçar dentro do horário do meio dia e jantar na hora que a criança está acostumada, ajuda bastante o organismo a entender essa mudança de horários.

IMG_1934
A fome na chegada em Frankfurt
IMG_3293
Um bolinho de bacalhau em Lisboa, para segurar até o jantar

Conseguindo administrar sono e alimentação no dia da chegada e primeiro dia de viagem são essenciais para ajudar a criança a se adaptar ao fuso horário e se recuperar de uma longa viagem. Nem sempre é tão fácil, tem chegadas que são muito cansativas e é quase irresistível deitar um pouco na cama do hotel, mas tentar ajustar o organismo ao horário local torna a viagem muito menos cansativa. Quando viajamos com os meninos, damos um desconto para eles nos dois primeiros dias, sem exigir muito deles, e tem funcionado muito bem para o resto da viagem.

As dicas então são essas:

  • controle a soneca do primeiro e segundo dias para que a criança durma em horários coerentes com o fuso que estão;
  • faça as refeições principais nos horários locais, almoce ao meio dia e jante no horário em que a criança está acostumada, drible com lanchinhos saudáveis a fome;
  • ao chegar no destino final, tome banho, troque a roupa e saia para rua, volte para o hotel em torno das 19hrs e estão liberados para dormir, isso garante uma longa noite de sono e um despertar em um horário bom;
  • quando puder escolher entre horários de vôos, dê preferência para chegar entre o meio e final da tarde, facilita bastante o não deixar dormir logo que chegamos;
  • para os dias de chegadas escolha passeios lights, deixe a criança se envolver na escolha, seja um parquinho, um city tour (eles adoram os ônibus) ou até um áquario.
IMG_9874
Oceanário de Lisboa, um belo passeio para um dia de chegada
Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Dani Jacinto disse:

    Amei seu blog, Cami!
    Nunca viajei tanto tempo assim num avião com o Cauê. Mas num geral prefiro vôos noturnos, pra dormir mais e chegar durante o dia na cidade.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oii! Que bom que gostou! Pois é, é bem pessoal essa questão! Eu ando sofrendo muito nos voos noturnos, chego destruída! Deve ser a idade pesando hahahahahha obrigada por dar a sua opinião!!! 😘

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s